Cicloamazônia

Uma travessia de bicicleta pela Transamazônica

Entrevista com o americano que atravessou a Amazônia pedalando

O americano Doug Gunzelmann atravessou a Amazônia em 2009, percorrendo o mesmo trecho da Rodovia Transamazônica que pretendemos cumprir. No seu site, o Amazon Pilgrim (Peregrino Amazônico, em inglês), ele descreve em detalhes a viagem, com fotos e vídeos. Embora as informações completas distribuídas em diversos capítulos do seu site já tenham ajudado no nosso planejamento, decidimos lhe enviar mais algumas perguntas pontuais sobre pontos específicos. Ele não só respondeu, como disse que adora dividir o que aprendeu sobre a Amazônia e que recentemente enviou algumas dicas do mesmo trecho para um ciclista finlandês. Confira abaixo as respostas de Doug e também imagens da viagem que realizou, reproduzidas aqui com sua autorização. Aliás, sobre fotos, ficamos de imprimir a que ele tirou com Resu, o criador de porcos que vive isolado em um sítio entre Apuí (AM) e Jacareacanga (AM), e entregar para ele. Será que vamos encontrá-lo?

É uma boa ideia seguir de leste para oeste, como pretendemos?
Não acredito que a direção fará diferença para esta esticada. Eu segui de oeste para leste atravessando o continente inteiro esperando que fosse favorecido pelo clima e pelo vento, mas, no fim das contas, não fez diferença. Não peguei praticamente nenhum vento na Amazônia.


E as subidas e descidas?
Não sei como é o trecho entre Lábrea e Humaita, mas a área da Amazônia ao redor de Humaita é predominantemente plana e tem mais pedras, sendo pedalável mesmo quando chove. É de Jacareacanga para oeste que vocês vão pegar um terreno mais montanhoso e com cada vez menos pedras, como eu descrevi no meu site. As subidas são bastante difíceis e exaustivas. Se estiver seco, a poeira vai ser pesada. Se estiver chovendo, vocês devem enfrentar uma estrada lamacenta e pesada, que pode retardar seriamente o progresso. Tenham isso em mente e tomem cuidado. A lama é grudenta e é impossível pedalar por ela. Ouvi histórias de ciclistas gastando semanas tentando atravessar este trecho quando está chovendo.

E quanto à segurança? É seguro viajar de bicicleta por esta rota?
É suficientemente seguro. Claro que há os perigos da selva e é preciso estar atento, afinal, é a Amazônia! As pessoas que encontrei nesta área foram muito amistosas e prestativas. Eu não carreguei armas, e não tive nenhum problema com ninguém. Já a natureza nem sempre perdoa.

Que cuidado devemos tomar para evitar situações de risco?
Essa é uma pergunta bem ampla. Nenhum conselho específico. Quando estiver lidando com pessoas, sorria! Quando estiver lidando com animais, fiquem juntos. Fora isso, nada especial além de manter os olhos abertos!

 

Você tem algum recado para Resu, o criador de porcos?
Absolutamente! Se vocês o virem, eu ficaria muito agradecido se pudessem imprimir a foto que tiramos juntos e entregá-la a ele. Sei que é um pedido e tanto, mas seria maravilhoso se a entregassem como uma lembrança. Se ele tiver um e-mail ou endereço postal, eu adoraria escrever algo.

 

2 Comments on “Entrevista com o americano que atravessou a Amazônia pedalando

  1. Andressa Akemi
    26/07/2012

    Texto muito legal!
    Meninos, boa viagem! Curtam bastante! E mandem notícias!

  2. Doug Gunzelmann
    09/08/2012

    I feel famous! Thanks for the recognition and good luck, I’ll be following you guys!!

Comments are closed.

Information

This entry was posted on 21/07/2012 by and tagged .

Calendário

January 2019
S M T W T F S
« Sep    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031